Terapia on-line:
o guia completo do paciente

Você já pensou em ser atendido por um psicólogo não estando no mesmo ambiente físico que ele/a? Participar de uma intensa sessão explorando os temas mais íntimos da sua vida sem sair de casa? Viajar para outros lugares e, mesmo assim, manter suas sessões de terapia em dia?

No meu trabalho como psicólogo presencial e on-line frequentemente me fazem perguntas sobre como funciona a terapia pela internet. Funciona? Tem resultado parecido com o presencial? É seguro? Dentre várias outras questões.

No texto abaixo, busquei responder essas e outras dúvidas e te oferecer um guia de como tirar o melhor proveito da tecnologia para receber o melhor serviço possível em psicoterapia on-line.

Primeiro, o que é atendimento psicológico on-line?

Qualquer forma de atendimento realizado por psicólogo/a usando meios tecnológicos de informação e comunicação.

O serviço pode ser realizado em tempo real (chamado de síncrono), quando terapeuta e cliente estão “ao vivo” interagindo, como em uma videochamada ou por telefone, ou de forma espaçada (chamada de assíncrono), quando há um tempo entre as interações terapeuta/paciente, por exemplo, por e-mail (sim, você pode receber o serviço psicológico via e-mail).

Por ser a modalidade com mais profissionais engajados e ser a minha experiência na área, nesse guia, eu vou falar sobre o atendimento síncrono realizado por videoconferência, ou seja, o/a paciente é atendido ao vivo, com som e imagem.

Por que motivos alguém escolhe ser atendido on-line?

No momento atual, de distanciamento social, a escolha pelo on-line, talvez, seja por falta de opção. No entanto, falando de forma geral, alguns motivos para escolher o atendimento on-line podem ser: – dificuldade de locomoção ou simplesmente busca por comodidade de não precisar se deslocar para ser atendido; – morar em localidades onde não há profissionais com especialidade para trabalhar algumas demandas específicas (não é toda cidade que conta com um terapeuta sexual ou especialista em TDAH, por exemplo); –  constrangimento do paciente em buscar profissionais locais em cidades muito pequenas, por receio de encontrar com o psicólogo em diversos locais no dia a dia, o que pode ser desagradável para algumas pessoas. – simplesmente, o desejo de ter a comodidade de ser atendido do conforto do local onde o paciente se encontra. Os motivos são variados. Quais os seus?

É igual ao atendimento presencial?

A resposta curta é não. Apesar de muito similar, existem algumas diferenças por ser outra forma de realizar o serviço. A tecnologia irá intermediar a relação, então, alguns problemas técnicos podem acontecer, do tipo: o vídeo congelar ou a internet cair.

O terapeuta não poderá ter a visão completa das expressões corporais do paciente, algo tão importante na clínica, então, você poderá ser mais questionado sobre como está se sentindo do que em um atendimento presencial.

O seu nível de atenção à sua sessão poderá ser diferente no início se você não fizer uma pausa e não se preparar para ser atendido on-line (vou falar abaixo como evitar isso).

Talvez, no início da primeira sessão você se sinta “estranho”, mas depois, geralmente, você nem lembra que está sendo atendido on-line e o fluxo terapêutico segue bem.

Com relação às vantagens, podem ser variadas, incluindo a comodidade de não se deslocar a ter acesso a um serviço muito especializado de um profissional que está a milhares de quilômetros de você e o conforto de ser atendido no seu espaço.

Além disso, algumas pessoas relatam conseguir se expressar melhor quando utilizam atendimento on-line, talvez pelo fenômeno da desinibição on-line (sentir-se com menos travas para se expor em meio virtual).

Terei o mesmo nível de atenção?
O psicólogo não vai estar fazendo outra coisa enquanto me atende

O nível de atenção é o mesmo do atendimento presencial. Nenhum profissional ético dará menos atenção ao paciente por conta do atendimento ser realizado de forma virtual.

O seu psicólogo on-line estará 100% focado em sua sessão, pronto para captar as menores minúcias do que você está sentindo e expressando. Então, quanto a isso, o paciente poderá ficar tranquilo.

Funciona? Tem resultado parecido com o presencial?

Diversas pesquisas têm demonstrado de forma repetida que o atendimento on-line funciona. Vou dar alguns exemplos.

– Um estudo de 2008, da Universidade de Estocolmo, na Suécia, com 1418 pacientes, mostrou que terapia cognitivo-comportamental feita pela internet e presencialmente produziram efeitos gerais equivalentes em transtornos psiquiátricos;

– Estudo israelense, da Universidade de Haifa, também de 2008, considerando a avaliação de estudos com mais de 9 mil pacientes, concluiu que a comparação entre intervenções presenciais e on-line não demonstrou diferença em efetividade.

– No Brasil, um estudo de 2014, resultado de um doutorado na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, concluiu que a relação terapêutica e os resultados das psicoterapias online e presencial foram equivalentes, considerando o resultado do tratamento com psicanálise de 24 pacientes.

A prática da terapia on-line é reconhecida, regulamentada e estabelecida de forma sólida em diversos países, como Estados Unidos, Austrália e Reino Unido. No Brasil, a psicoterapia oferecida de forma não presencial é uma prática reconhecida e regulamentada pelo Conselho Federal de Psicologia (Resolução CFP 11/2018).

É gratuito?

O atendimento on-line é um serviço como o presencial prestado por profissionais que recebem pelos serviços oferecidos. Dessa forma, assim como o atendimento presencial e, por ser tão similar, certamente, é um serviço cobrado. Porém, há poucas profissões na qual existem tantos profissionais realizando trabalho com cunho social e/ou com valores reduzidos como na Psicologia. Seja presencial ou on-line, sempre é possível encontrar um serviço que se adapte às necessidades, caso o paciente se encontre em insuficiência financeira. Se este for o seu caso ou você conhece alguém que necessite de serviço com valor social, algumas sugestões de serviços você encontra: aqui: https://psisocial.com/ ou http://www.psicologiaparatodospr.com.br/  

É mais barato?

Alguns profissionais podem cobrar um valor um pouco menor de sessão quando o atendimento é feito de forma on-line porque, em tese, teriam menos gastos com deslocamento e uso de espaço físico.

Na minha prática clínica, o valor cobrado seja na modalidade presencial ou on-line é o mesmo, pois acredito que o nível do serviço prestado, a capacitação técnica e o cuidado é exatamente o mesmo nos dois contextos

É seguro?

Na média, sim. Muito seguro. Desde que cuidados sejam tomados nas duas pontas (psicólogo e paciente). No entanto, não se deve ter a expectativa irrealista de segurança TOTAL em meio virtual (ou mesmo presencial) já que atos ilícitos de invasão de informação é uma hipótese remota, quase inexistente, porém, que não pode ser totalmente descartada. Pessoalmente, desconheço qualquer caso no qual a segurança de pacientes e profissionais tenha sofrido qualquer violação.

É responsabilidade do psicólogo tomar todas as medidas possíveis para manter a segurança das informações e instruir ao cliente sobre os cuidados a serem tomados, como ter uma senha forte no dispositivo e se atentar para a privacidade do ambiente onde se encontra. Em sua primeira sessão, se isso for uma preocupação sua, retire todas as suas dúvidas sobre as medidas de segurança que o seu terapeuta toma.

É indicado para todos os pacientes?

Não. O próprio Conselho Federal de Psicologia (CFP) lista algumas situações nas quais não poderá ser realizado atendimento on-line, como situações que envolvam violação de direitos ou violência.

Comumente, o seu psicólogo on-line, já no início do seu tratamento, irá avaliar se você tem perfil para essa forma de atendimento. Tal avaliação leva em conta aspectos psicológicos do paciente, rede de suporte psicossocial e o nível de cuidado que ele necessita.

A maioria das pessoas pode ser atendida de forma on-line, no entanto, em algumas circunstâncias, esse não será o serviço mais indicado. Em minha prática, sinto tranquilidade e segurança para comunicar ao paciente caso o serviço mais indicado para ele, no momento, seja na modalidade presencial. Essa é uma obrigação ética do psicólogo.

Como escolher o profissional?

Primeiro de tudo, verifique se o profissional está cadastrado no e-Psi (clicando aqui), site do CFP que lista todos os profissionais que estão habilitados para oferecer o serviço de forma on-line. Excepcionalmente, nesse momento de pandemia, essa obrigatoriedade está suspensa temporariamente, porém, se atente a isso.

Quando começar a ser atendido, questione ao seu profissional o que ele pensa sobre o atendimento on-line. Caso o profissional não demonstre confiança nessa modalidade ou a considere inferior, veja isso como um sinal de alerta, pois é fundamental que o profissional sinta confiança e conforto com essa modalidade de atendimento para que o paciente possa ter os melhores resultados.

Com a possibilidade de escolher um profissional sem o limite das fronteiras geográficas as suas opções de serviços aumentam exponencialmente.

Você pode morar em Florianópolis e escolher um profissional do Tocantins, ou no Rio Grande do sul e se consultar com alguém do Rio de Janeiro. Virtualmente, as suas opções abrangem todo o território nacional.

Isso é muito bom, pois você poderá escolher um profissional que tenha maior expertise exatamente naquilo que você busca. É a ansiedade que te incomoda? Problemas de relacionamento? Queixas sexuais? Indecisões na carreira? etc. Buscando o conteúdo on-line do profissional, você poderá fazer esse filtro de quem está mais alinhado à sua busca.

Não hesite em entrar em contato com o profissional para tirar dúvidas e avaliar se vocês formam uma boa parceria para o trabalho. Em psicoterapia, é comum que o paciente entre em contato e possa até realizar uma primeira sessão com o psicólogo para ver se ambos se sentem alinhados para trabalhar.

Pode acontecer que o primeiro profissional escolhido não seja aquele que você desejará trabalhar. Não desista, é parte do processo e certamente existe um profissional que você se sentirá mais alinhado.

No meu trabalho, antes de marcar a primeira consulta, eu agendo uma chamada telefônica gratuita breve (de até quinze minutos) para avaliar a demanda do paciente, tirar qualquer dúvida que ele tenha e apresentar meu modelo de trabalho. Nessa chamada vou poder dizer ao paciente se a terapia psicológica é indicada para ele e se tenho experiência no que a pessoa precisa, além do paciente ter a chance de me conhecer melhor.

Então, quando procurar seu psicólogo on-line, tire todas as suas dúvidas antes de iniciar o seu processo.

Crianças e adolescentes podem ser atendidos on-line por psicólogo?

Sim. Desde que, assim como no atendimento presencial, tenham a devida autorização dos responsáveis. Seu psicólogo on-line te guiará nesse processo.

Terapia de casal on-line, isso existe?

Sim. Eu, inclusive, ofereço esse tipo de serviço. Um dado de experiência pessoal que compartilho: verifico que alguns pacientes de terapia de casal, por estarem no ambiente familiar onde “tudo acontece”, costumam ampliar as discussões logo após a acorrência das sessões por já estarem num ambiente seguro, como a sala de casa.

Dá para declarar terapia on-line no imposto de renda?

Sim. Isso era uma dúvida minha, inclusive, devidamente esclarecida pela minha contadora. O processo é o mesmo do atendimento presencial: você receberá um recibo ou nota fiscal digital e fará a sua declaração normalmente.

De que forma realizo o pagamento pelas sessões?

Comumente, via transferência bancária, cartão de crédito ou boleto. Seu psicólogo on-line te informará sobre os procedimentos. Na minha prática clínica, as três modalidades acima são aceitas.

Sou brasileiro/a e moro fora do país. Posso ser atendido por um psicólogo brasileiro on-line?

Sim. Pode.

“Ok, acho que quero ser atendido on-line”. Certo, veja abaixo como ter o máximo proveito possível do atendimento por videoconferência.

DICAS PARA VOCÊ TER UMA ÓTIMA SESSÃO ON-LINE

1. A não ser que você tenha um sistema de microfone bem elaborado, use fones de ouvido. A chance de você ficar mais focado na sessão aumenta, além de possivelmente seu terapeuta poder te ouvir melhor.

2. Antes da sua sessão, sempre reinicie o aparelho que você for utilizar. Isso faz toda a diferença em evitar travamentos e outros problemas de conexão por sobrecarga do dispositivo.

3Feche todos os aplicativos, mesmo em segundo plano, ou programas do seu computador. Não deixe abas abertar do navegador. Isso melhora o desempenho do dispositivo e a conexão com a internet.

4. Evite ter uma fonte luminosa (lâmpada, janelas, etc.) atrás de você. Isso diminui a luz no seu rosto, tornando a visualização pelo terapeuta mais difícil, além de causar desforto do outro lado da tela. O ideal é a fonte luminosa estar acima e/ou na sua frente.

5Procure um suporte para seu celular ou outro dispositivo. Tenha sempre as mãos livres durante a sessão. Isso permite você relaxar melhor seu corpo para poder expressar seus pensamentos, sentimentos e emoções. O seu suporte pode ser livros, uma toalha dobrada ou qualquer outro meio.

6. Para você ganhar tempo, teste o ângulo do seu dispositivo antes do início da sessão. Veja o que estará aparente em sua tela para o terapeuta. É indicado que você permita uma visão de “apresentador de jornal”, permitindo que a a parte superior do tronco e seu rosto estejam bem visíveis.

7. O seu momento de sessão é precioso. Você estrará em contato com sua história, valores e processos psicológicos mais íntimos. Você não deseja ser interrompido por notificação, vibrações e outros eventos que roubam sua atenção.

Então, se você for utilizar seu celular, certifique-se as notificações do Facebook, Instagram e WhatsApp (os apps mais comumente utilizados) estão desativadas durante sua sessão.

Por mínima que seja a interrupção, já existe um prejuízo em seu processo. Alguns celulares oferecem a opção de colocar o aparelho em modo avião e manter o Wi-Fi ligado. Se puder, faça isso, evitando também ligações durante sua sessão.

Se estiver com mais pessoas em sua casa ou outro local, avise que estará em sessão, que não pode ser interrompido durante aquele horário e que isso é muito importante para seu tratamento.

É fundamental que sua sessão seja um momento SEU e único, no qual você tenha a tranquilidade de poder voltar-se para você e se olhar sem interrupções.

8Procure parar suas atividades cotidianas alguns minutos antes da sessão. Quando somos atendidos de forma presencial, o caminho até o consultório, a espera na recepção, etc. quebram a sequência do nosso cotidiano e vamos entrando em ritmo de terapia, pensando o que vamos falar ao terapeuta ou nos permitindo sentir.

Quando o atendimento é on-line, não temos nada disso. Estar trabalhando e, imediatamente, já iniciar sua sessão pode ser algo não indicado pois, até entrar no “modo terapia”, você poderá perder alguns minutos do início da sua sessão para se conectar com você mesmo e com seu terapeuta.

Então, ao menos uns 10 minutos antes de sua sessão, tente parar o que está fazendo, respire bem fundo, esteja consciente do que acontecerá em seguida e comece a pensar na sessão que se iniciará.

9. Deixe próximo de você o que acha que será necessário durante a sessão, como lenço, uma almofada que poderá te dar conforto físico e uma blusa, caso more em local que costuma esfriar.

Feito isso, aproveite sua sessão de terapia on-line!

Para verificar disponibilidade de agenda, envie mensagem pelo WhatsApp

Marcos R. A. Carvalho

Sexólogo e psicólogo (CRP 08-19155), mestre em Psicologia pela UFPR, professor universitário. Especializado em sexualidade/gênero/diversidade pelo Pink Therapy, de Londres. Terapeuta EMDR.

Estudos citados

1. Barak, A., Hen, L., Boniel-Nissim, M., & Shapira, N. (2008). A comprehensive review and a meta-analysis of the effectiveness of internet-based psychotherapeutic interventions. Journal of Technology in Human Services, 26(2/4).

2. Per Carlbring, Gerhard Andersson, Pim Cuijpers, Heleen Riper & Erik Hedman-Lagerlöf (2018) Internet-based vs. face-to-face cognitive behavior therapy for psychiatric and somatic disorders: an updated systematic review and meta-analysis, Cognitive Behaviour Therapy, 47(1), 1-18.

3. Pieta, M. A. M. (2014). Psicoterapia pela internet: a relação terapêutica. Tese de Doutorado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Brasil

ARTIGOS

Marcos Roberto Alves de Carvalho
Sexólogo | Psicólogo (CRP 08 – 19155)

E-mail: psicodiversidade@psicodiversidade.com

Endereço:

R. Padre Anchieta, 2540 – Bigorrilho, Curitiba – PR, 80730-000

Este site não oferece tratamento e/ou acompanhamento imediato (s) para pessoas em crises suicidas. Em caso de crise suicida, por favor, entre em contato com o CVV pelo telefone 188 ou acesse o site http://www.cvv.org.br. Se tratando de emergência, procure atendimento no hospital mais próximo.

Digite seu e-mail e receba novidades!